Primeira Página Jornal Sociedade Incêndios: Chega de Discriminação!
 

Ter

09

Jan

Incêndios: Chega de Discriminação!
Sociedade
Escrito por Paulo Jorge F. Marques   
Incêndios: Chega de Discriminação! Depois de termos conhecimento que o governo central socialista se prepara para estender os apoios referentes aos incêndios de Pedrogão aos territórios afetados pelos incêndios de 15 de outubro vimos reafirmar que os efeitos dos incêndios não se esgotam nessas datas e territórios, pelo que o PSD de Vila de Rei vem denunciar a contínua e profunda descriminação existente para com o Concelho de Vila de Rei, que infelizmente também foi alvo, e de uma forma extremamente devastadora, dos incêndios de 2017.

O ano de 2017 ficou marcado pelos maiores incêndios de que há memória em Portugal.

Contudo, apesar de ao longo de todo o verão, o território nacional, mas essencialmente a zona centro do país ter ardido de forma mais ou menos intermitente, o foco mediático centrou-se principalmente no incêndio de Pedrogão, a 17 de junho e nos vários incêndios que ocorreram a 15 e 16 de outubro, essencialmente devido às perdas humanas que, lamentavelmente ocorreram, tendo o restante território sido relegado para segundo plano.

O que assistimos depois foi a uma tentativa desesperada do governo de lançar medidas, caso a caso, mais preocupado em responder à pressão mediática criada, do que efetivamente, em traçar planos transversais e pensados para todos os territórios afetados.

Assim, temos medidas discriminatórias perante territórios e pessoas afetadas, em função da origem e data do incêndio, havendo medidas para os concelhos afetados pelo incêndio de Pedrogão, outras diferentes para os incêndios de 15 de outubro, e uma total discriminação para os territórios que arderam no intervalo entre 17 de junho e 15 de outubro.

Neste sentido, o PSD de Vila de Rei não compreende porque razão, no âmbito do apoio aos agricultores afetados, existam municípios em que todos os pequenos agricultores (abrangidos pelos incêndios de 15 de outubro), independentemente da dimensão ou de terem registo de atividade recebam um apoio até 100% dos prejuízos até ao montante de 1.035€, e os Vilarregenses em condições semelhantes não obtenham semelhante apoio do Governo.


O PSD de Vila de Rei não compreende a exclusão de Vila de Rei do projeto piloto de reflorestação previsto para os concelhos que arderam em 17 de junho, nem tão pouco, a exclusão de Vila de Rei da criação de cadastro florestal, previsto para os concelhos que arderam também em 17 de junho e mais alguns posteriormente adicionados. Neste sentido, Vila de Rei passa a constituir-se uma ilha sem cadastro, quando todos os outros territórios em seu redor passarão a possuir esse instrumento, imprescindível para a adoção de medidas de ordenamento florestal, bem como de todo o território.

Posto isto, procedeu o PSD de Vila de Rei à apresentação de uma proposta de Tomada de Posição da Assembleia Municipal de Vila de Rei.

Assistimos ainda à aprovação de uma Moção por parte da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo que visa também denunciar a discriminação a que todos assistimos.

Pelo exposto, e porque para o governo nada ardeu entre 17 de junho e 15 de outubro, somos a reivindicar o fim das discriminações entre territórios, entre concelhos vizinhos, entre pessoas com problemas iguais que têm tratamentos totalmente diferentes.

O PSD de Vila de Rei insurge-se contra tal discriminação, solicitando o mesmo tratamento para os Vilarregenses, daquele que outros têm.

 
Tem de se autenticar (ou registar-se, se ainda não possui uma conta) para poder adicionar comentários a este artigo.

| Mais
Faixa publicitária