Primeira Página Jornal Sociedade Projeto "Memórias da Escola" promove artigos científicos sobre ensino em meio rural
 

Seg

17

Abr

Projeto "Memórias da Escola" promove artigos científicos sobre ensino em meio rural
Sociedade
Escrito por Paulo Jorge F. Marques   
Projeto "Memórias da Escola" promove artigos científicos sobre ensino em meio rural
O ensino em meio rural em Portugal é um tema que não tem sido muito abordado em artigos científicos, o que torna o projeto "Memórias Resgatadas: Percursos de Escolarização, Identidades e Dinâmicas Educativas Locais", desenvolvido em conjunto pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (IEUL) e a Universidade Sénior de Proença-a-Nova (USPN) no âmbito de um protocolo assinado entre as duas instituições, "muito novo e muito interessante". A perspetiva é da investigadora Ana Isabel Madeira que durante o encontro "Memórias da Escola", realizado a 7 de abril em Proença-a-Nova", revelou que "esta parceria tem resultado de uma forma muito profícua". A USPN tem estado a recolher testemunhos e outro material sobre a educação no concelho que são analisados pela equipa do IEUL com o objetivo de publicação futura de monografias e outros artigos científicos.
Face ao carácter inovador do projeto, Ana Isabel Madeira revelou que podem ser contratados consultores científicos estrangeiros, especialistas em memórias escolares, para uma possível ampliação do projeto para um objetivo mais alargado de "contribuir para o exercício de uma cidadania ativa e para a construção de processos de aprendizagem ao longo da vida, apoiado na exploração da memória do património histórico local relacionados com a educação, o ensino e a escola em meio rural". A investigadora salientou ainda que um projeto desta natureza valoriza a região e o local como fonte histórica, em que a "promoção da identidade regional e local e a promoção de aprendizagens intergeracionais em torno da temática das experiências de escolarização permitem construir um espaço de participação cívica e de reconstrução identitária".
O reitor da Universidade Sénior de Proença-a-Nova, António Manuel Silva, apresentou alguns dados curiosos sobre a recolha que já foi efetuada até este momento: "na nossa região há muita gente que que foi muito nova para África ou que nasceu em África, e que estudou ou deu aulas em Angola e Moçambique e essas memórias são tão ou mais importantes do que aquelas que vamos recolhendo por cá, porque as que temos cá vão-se conservando de uma maneira ou outra, mas as que temos de África vão desaparecer muito rapidamente e nós temos que insistir nessa recolha". Qualquer pessoa que queira partilhar as suas memórias escolares pode fazê-lo contactando a USPN tendo em conta que há um inquérito pré-definido. Vão ser recolhidos igualmente fotografias e outros elementos das escolas para fazer um retrato o mais completo possível do ensino no concelho.
O presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, falou precisamente da importância das memórias. "Qualquer sociedade que não tenha e preserve a sua memória tem um mau presente e o futuro não é nada auspicioso porque a nossa memória é o conhecimento que vamos absorvendo e também é esse conhecimento que nos consolida como sociedade e nos dá a capacidade, depois, de olhar para a frente e traçar novos objetivos". João Lobo recordou o projeto Ecos de Proença que tem estado a fazer a recolha da memória a vários níveis.
No encontro "Memórias da Escola" intervieram ainda Justino Magalhães, do IEUL, sobre "dinâmicas locais e educação: atlas dos municípios na escolarização em Portugal", Áurea Adão, do IEUL, sobre "o ensino primário elementar no município oitocentista de Proença-a-Nova: da rede escolar aos conteúdos de ensino", e Daniel Catarino, ex-presidente do Conselho Diretivo da Escola Pedro da Fonseca, com o tema "Escola Pedro da Fonseca, uma porta para a universidade: o acesso dos alunos ao Ensino Superior em Proença-a-Nova".
 
Tem de se autenticar (ou registar-se, se ainda não possui uma conta) para poder adicionar comentários a este artigo.

| Mais
Faixa publicitária