Primeira Página Jornal Sociedade O compromisso do PS é com os Beirões. No passado dia 16 de outubro, o Presidente da Comissão Política Distrital de Castelo Branco do PSD anunciou, através da imprensa, que enviara uma missiva a esta Federação Distrital, convidando ao diálogo e à concertaç
 

Qua

28

Out

O compromisso do PS é com os Beirões. No passado dia 16 de outubro, o Presidente da Comissão Política Distrital de Castelo Branco do PSD anunciou, através da imprensa, que enviara uma missiva a esta Federação Distrital, convidando ao diálogo e à concertaç
Sociedade
Escrito por Paulo Jorge F. Marques   
O compromisso do PS é com os Beirões.
No passado dia 16 de outubro, o Presidente da Comissão Política Distrital de Castelo
Branco do PSD anunciou, através da imprensa, que enviara uma missiva a esta
Federação Distrital, convidando ao diálogo e à concertação.
Aquela iniciativa merece da Federação Distrital de Castelo Branco do Partido
Socialista umas breves considerações.
A ação do Presidente da Comissão Política Distrital de Castelo Branco do PSD não é
inovadora, mantendo-se fiel ao seu estilo, prefere o espetáculo mediático à
abordagem séria, responsável e consistente das questões políticas. O método do PSD é
reprovável. Não se convida para um diálogo sério através de conferência de imprensa.
Na forma, a missiva enviada pelo PSD denuncia a exclusiva intenção de criar um facto
político. No conteúdo, revela até alguma sobranceria, falta de humildade democrática e
uma total incapacidade de compreender a realidade.
O PSD não compreendeu, ainda, que os eleitores do Distrito de Castelo Branco
reconhecem que o Partido Socialista é a força política que, de forma consistente e
eficaz, melhor tem defendido os seus interesses. Essa é a principal razão para terem
concedido ao PS seis expressivas vitórias eleitorais nos últimos vinte anos.
Exatamente o período de maior e mais profunda transformação social e económica,
experimentada nos onze concelhos do nosso distrito.
Os Beirões sabem, também, que o PSD não apoiou este esforço do PS, que resultou
em importantes realizações. Sabem, aliás, que o PSD esteve contra o Distrito e as
suas populações em diversas ocasiões - contra as operações POLIS; a favor da
introdução de portagens na A23; desvalorizando a obra da Barragem do Alvito, e
pactuando com a sua interrupção; ignorando a defesa do IC31 no quadro dos
investimentos estratégicos a financiar pela UE; entre outras. Os Beirões conhecem o
desaparecimento do PSD e dos seus Deputados, eleitos no círculo de Castelo Branco,
nos momentos decisivos para a defesa dos interesses do nosso Distrito.
O PSD não reconhece o óbvio. No passado dia 4 de outubro, o PSD e o CDS
obtiveram a terceira maior derrota da sua história. Só em 1975 e 2005, os resultados
nacionais dos dois partidos, somados, registaram valores percentuais inferiores. E, no
Distrito de Castelo Branco, o resultado nominal da coligação PáF configura a maior
derrota eleitoral, desde 1975.
2
O Partido Socialista do Distrito de Castelo Branco, na recente campanha para a
Eleição da Assembleia da República, trabalhou seriamente para reforçar os seus
compromissos.
Com as Federações Distritais do PS da Região Centro, firmou um compromisso para
as futuras decisões, em matérias de comum interesse da região.
Com as populações do Distrito, renovou o contrato eleitoral com base num
programa claro e objetivo. Este compromisso, que foi escrutinado e sufragado,
representa a vontade expressa da maioria dos eleitores do Distrito de Castelo
Branco.
A cultura de diálogo e de compromisso faz parte da identidade do PS, que tem
procurado agregar as diferentes forças políticas, em defesa dos interesses das
populações do distrito - vd. a recente questão do Hospital do Fundão.
O PSD, que apresentou, na última campanha eleitoral legislativa, um programa vago
nas ideias e vazio de propostas. Que sempre se furtou, nas últimas décadas, ao
compromisso pelo Distrito, e nos momentos decisivos não articulou nem votou com o
PS. Enuncia, agora, que pretende mudar de atitude e de postura, passando a
conjugar negociação e compromisso.
A Federação Distrital de Castelo Branco do PS mantém uma atitude de diálogo e
disponibilidade para construir espaços de união, em torno de medidas concretas,
nos momentos oportunos, que visem o especial interesse das populações do Distrito.
No decurso da XIII Legislatura o PSD terá a oportunidade de demonstrar a sua
boa-fé na promessa de compromisso com o distrito, defendendo o conjunto de
ideias e de propostas que mereceram o apoio maioritário dos eleitores do
Distrito de Castelo Branco, e que são as causas regionais de PS, há já muitos
anos.
Na preparação das necessárias iniciativas parlamentares, o PS trabalhará com todas
as forças políticas representadas na AR, para reforçar o apoio às mesmas.
Nessas alturas, competirá ao PSD demonstrar que não é fingimento o seu interesse
pelo compromisso.
Por ora, a proposta apresentada é manifestamente extemporânea e destituída de
verdadeiro interesse.
Para o PS e para os Beirões, o que conta são as ações que trazem mais
desenvolvimento social e económico e mais coesão territorial. É com essas ações
que continuamos comprometidos. E os Beirões sabem-no!
Castelo Branco, 27 de outubro de 2015
O Secretariado da Federação Distrital
 
Tem de se autenticar (ou registar-se, se ainda não possui uma conta) para poder adicionar comentários a este artigo.

| Mais