Primeira Página Jornal Ocorrências Acidente com autocarro faz 11 motos e 33 feridos-resumo
 

Ter

29

Jan

Acidente com autocarro faz 11 motos e 33 feridos-resumo
Ocorrências
Socorro atuou de imediato

O trágico acidente de autocarro que aconteceu na Sertã fez 11 mortos (seis homens e quatro mulheres) e 33 feridos, alguns deles graves.

O acidente ocorreu cerca das 8 da manhã de Domingo, junto ao cruzamento do Carvalhal. O motorista perdeu o controle da viatura que entrou em despiste e saiu por uma ravina com cerca de 30 metros. No local foi instala uma tenda de triagem dos feridos. Foram estabilizados no local. Duas horas depois já tinham sido todos evacuados para os hospitais. Gerou-se uma grande confusão, com a chuva a dificultar. No terreno chegaram a estar 200 bombeiros e 98 viaturas de socorro; uma máquina giratória da Câmara esteve no local a apoiar a retirada do autocarro. Médicos, enfermeiros, psicólogos e proteção civil, todos foram chamados. Varias corporações de bombeiros mobilizadas.

 

O socorro foi prestado de imediato, com ambulâncias, INEM, bombeiros, GNR e todos os meios possíveis, de toda a região. Alguns não vieram a ser utilizados, e foram desmobilizados, tal a prontidão do socorro. Até um helicóptero esteve disponível, embora não atuasse. A polícia criou um corredor de acesso ao Hospital de Castelo Branco.

Viajavam sete crianças que não inspiram grandes cuidados. O autocarro pertencia à empresa espanhola Rabazo, mas o motorista e os passageiros portugueses. Dirigiam-se de Portalegre para Santa Maria da Feira para ver o maior presépio português de sempre, bem como o museu da cortiça. O autocarro foi removido por uma grua e colocado num camião. Foram precisas seis horas. O trânsito foi restabelecido. Durante todo dia os veículos circularam pela estrada nacional Carvalhal-Pedrógão Pequeno.

Os acidentados eram naturais de Portalegre, Arronches, Nisa, Castelo de Vidas e Monforte. 10 dos mortos viviam na cidade de Portalegre. A Câmara de Portalegre vai decretar luto municipal. No Hospital Pediátrico de Coimbra estão internadas quatro crianças. Uma vítima(adulto) faleceu pouco depois de entrar neste Hospital. Houve um bom desempenho dos meios de socorro. Alguns dos feridos já tiveram alta do Hospital de Castelo Branco e regressaram a Portalegre.

As vítimas mortais seguiram para o Instituto de Medicina Legal de Castelo Branco. Dos 11 mortos alguns são da mesma familiares.

 

Portalegre de luto

Dezenas de familiares recebem apoio e primeiros socorros psicológico na Câmara de Portalegre, onde foram atendidos por uma equipa de psicólogos do gabinete de apoio da autarquia.

O Ministro Miguel Macedo esteve no Hospital de Coimbra onde elogiou a rapidez do socorro, como era de esperar. No local houve grande capacidade de resposta, referiu ainda, declarando que as causas do acidente vão ser apuradas rapidamente-naquilo que chamou um relatório capaz e bem estruturado. Em Coimbra chegaram feridos com traumatismos crânio-encefálicos. Três dos doentes ainda ali internados inspiram cuidados redobrados.

No Hospital de Castelo Branco chegaram feridos politraumatizados, com traumatismos cervicais e outros. Todos os doentes foram tratados dentro das normas e atempadadamente. Naquele hospital há ainda quatro casos mais complicados, com problemas torácico-abdominais. Familiares e amigos acorreram ao hospital. Das 11 vitimas mortais, 10 chegaram a Castelo Branco.

 

O local do acidente já tem um histórico de acidentes. Em poucos meses foi o 4º acidente. Num deles, um camião despistou-se espalhando a carga, automóveis, pela estrada. Depois foi a vez de outro camião entrar em despiste com efeito tesoura. Há ainda registo de um particular que "desfez" uma viatura no local.

 

As obras na via e o mau tempo podem ser causas do acidente. No local há um súbito desnível no asfalto. José Farinha Nunes, presidente da Câmara da Sertã, realçou que "este é um ponto que já está referenciado, porque é uma descida inclinada a seguir a uma curva, onde esta semana já houve um outro acidente, um despiste também. A Câmara promete estudar o assunto e fazer uma intervenção no sentido de solucionar a questão e evitar a perigosidade".

 

 
Tem de se autenticar (ou registar-se, se ainda não possui uma conta) para poder adicionar comentários a este artigo.

| Mais