Primeira Página Jornal Opinião Não em Portugal
 

Seg

02

Abr

Não em Portugal
Opinião
Escrito por Director   

Havia que reduzir as importações e aumentar as exportações; havia, assim, que produzir mais; apostar em sectores como o agro-industrial, a floresta e outras. Havia que...alertou a ministra da agricultura e até o primeiro-ministro.

 Havia que..mas não num país como Portugal. Que desenvolvimento tiveram a agricultura e a floresta? Quase nada.
A floresta ardeu. A regeneração natural aconteceu na maior parte do territorio, mas de forma desordenada e à mistura com matagais e outra vegetação. Um barril de pólvora espalha-se por montes e vales. As associações de produtores florestais fazem algum trabalho, mas de forma desapoiada e desintegrada. Limpam mata aqui e ali, mas de forma inconsequente. As câmaras também  poderiam fazer mais. O Governo, a autoridade que poderia contactar proprietários e proceder ao reordenamento compulsivo, está mudo e calado. A floresta está em stand by.

Assim, a floresta da Zona do Pinhal, o maior recurso natural que podíamos explorar, não tem futuro. As ZIF's, muito morosas e com imensas burocacias na sua constituição, são cada vez mais uma miragem. Além de algumas estarem em fase de implantação. Não há vontade...Importava, pois, apostar na floresta, mas em Portugal não. E a agricultura? Lembram-se, importava também recultivar os campos, para deixarmos de importar alimentos, quando os podemos produzir.
Tudo está igual, com os campos abandonados. Cavaco Silva exortou mesmo à deslocação de pessoas do litoral para o interior para trabalhar a terra.

Mas não em Portugal.

Trabalhar no campo, na floresta, na pecuária e noutras áreas do sector primário é mal visto, repele. Quem o faz é visto com desdém.  É preciso mudança de mentalidades.

Portugal, país adiado.

 

 
Tem de se autenticar (ou registar-se, se ainda não possui uma conta) para poder adicionar comentários a este artigo.

| Mais
Faixa publicitária