Primeira Página Jornal Ambiente Campanha Porta a Porta da VALNOR em Oleiros
 

Qua

13

Jul

Campanha Porta a Porta da VALNOR em Oleiros
Ambiente
Campanha Porta a Porta da VALNOR em Oleiros


Subordinada ao tema "Separação de Resíduos Sólidos Urbanos", realizou-se em Oleiros, no auditório da Casa da Cultura, no passado dia 6 de Julho, uma acção de sensibilização destinada aos proprietários de estabelecimentos comerciais e Juntas de Freguesia.

Deu a conhecer a empresa intermunicipal VALNOR, S.A:, a qual o Município de Oleiros passou a integrar em Agosto de 2010, assim como a campanha de recolha Porta a Porta. Esta campanha, como o próprio nome indica, consiste na recolha de papel e embalagens, por intermédio de uma viatura própria para o efeito, propriedade da VALNOR, S.A., a qual percorrerá as entidades assinaladas como aderentes a esta iniciativa. Qualquer entidade, de entre as quais estabelecimentos comerciais, que esteja interessada em ser contemplada por esta campanha deverá contactar o responsável da VALNOR, S.A. por esta recolha Porta a Porta através do número 93 97 80 931 ou do endereço de e-mail Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar .


A VALNOR, S.A. o Município de Oleiros, em conjunto, têm vindo a desenvolver políticas potenciadoras do alcance das metas definidas no programa de Prevenção de Resíduos Urbanos (PPRU), através de acções concretas que contribuam para o objectivo nacional de redução das quantidades de resíduos produzidas por habitante. Segundo o Decreto - Lei n.º 178/2006, de 5 de Setembro, "a gestão de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) cuja produção diária não exceda os 1100 litros por habitante deve ser assegurada pelos municípios", facto que motivou a associação dos municípios em sistemas municipais e intermunicipais, criando infra-estruturas de recolha, tratamento e valorização de resíduos sólidos.


Exposição de Artesanato em Madeira inaugurada no Posto de Turismo


Foi inaugurada no passado dia 4 de Julho, no Posto de Turismo de Oleiros, a exposição "Artesanato em Madeira" da autoria de Mário Antunes, residente em Oleiros. A exposição vai estar patente naquela infra-estrutura até ao dia 30 de Julho e em plena celebração do Ano Internacional das Florestas, que se comemora em 2011, o Município de Oleiros vê nesta iniciativa mais uma forma de apelar à valorização da Floresta, ao mesmo tempo que se promove o capital artístico concelhio. Com 80 anos de idade, o artesão cria peças utilitárias em madeira, as quais derivam de diferentes espécies de árvores, oriundas de vários continentes, privilegiando, através da sua criatividade e imaginação, não só do meio natural onde vive, mas também outros locais.

Pinho e oliveira estão entre as matérias-primas mais usadas, mas de entre as peças expostas destaca-se uma colecção de 24 pratos com o mesmo formato, embora cada um seja de uma espécie diferente de madeira. Esta colecção tem a particularidade de permitir ao visitante observar ao vivo as diferenças entre as várias madeiras.

Na mostra há ainda relógios e molduras, os quais resultam da combinação de diferentes tonalidades, assim como pratos com encaixes a duas cores. O leque de peças é variado, incluindo loiças e fruteiras, bancos e cadeiras, medidas de alqueire antigamente usadas para cereais, jarras ou mealheiros. "Procuro que as peças tenham sempre alguma utilidade", explica o artesão oleirense.


Inauguração da nova zona envolvente aos Paços do Concelho de Oleiros


Vai ser inaugurado no próximo dia 16 de Julho (Sábado), em Oleiros, pelas 21h30m, o novo espaço envolvente do edifício dos Paços do Concelho. Após a inauguração, segue-se um jantar aberto a toda a população do concelho. Recorde-se que houve uma requalificação total daquela zona, numa intervenção que permitiu, acima de tudo, dotar aquele edifício público de melhores condições de acessibilidade para todos os cidadãos. Por outro lado, e acordo com o projecto, "a área em questão encontrava-se muito ampla e despida em termos de materialidade".


Para além do destaque da estátua dedicada ao Padre António de Andrade, a intervenção realça ainda o brasão de armas do concelho, ilustrado no pavimento através de uma representação em marmorite policromada. O edifício dos Paços do Concelho surge assim destacado "com jogos de materiais que levam o olhar para o edifício, através de linhas representadas no pavimento".


Estátua em homenagem ao Padre António de Andrade vai ser descerrada no próximo Sábado


Durante a inauguração da nova zona envolvente aos Paços do Concelho, no próximo Sábado, pelas 21h30m, vai ter lugar a cerimónia de descerramento da estátua de homenagem ao Padre António de Andrade, colocada em destaque em frente daquele edifício. Este é um elemento de arte pública da autoria do escultor José Leitão de Paula representando mais um tributo que o Município presta a esta ilustre figura da História, nascida em Oleiros no século XVI e tido como uma das figuras mais universais da História do concelho.


Considerado um dos Grandes Portugueses, em Oleiros, o seu legado está bem presente na perseverança das gentes locais e no memorial situado no Jardim Público, numa homenagem dos seus conterrâneos. Nascido em Oleiros em 1581, é considerado o primeiro ocidental a atingir o Tibete, no ano de 1624. Consta que o Rei, após algum tempo e dos esforços diplomáticos do padre Oleirense, parece ter mostrado interesse para com a religião cristã, acabando por autorizar não somente o retorno dos padres, como lhes prometeu permitir o estabelecimento de uma missão em Chaparangue, no ano seguinte. Vem a falecer em Goa, em 1634, supostamente envenenado, quando se preparava para regressar ao Tibete. Recorde-se que o Padre António de Andrade, para além de escalador dos Himalaias, notabilizou-se como descobridor do Tibete.


A obra escultórica baseou-se em algumas descrições da fisionomia e dos hábitos do padre jesuíta, tendo havido a colaboração da Companhia de Jesus nesse sentido. Segundo um retrato a óleo existente, partindo de uma descrição do Bispo d´Angra, D. João Maria Pereira d´Amaral e Pimentel, António de Andrade aparece representado "com o rosto ovado, cabelo e sobrancelhas pretas, assim como os olhos e barba, que é cortada à tesoura e com bigode; vestido com roupeta de jesuíta, com o chapéu na mão, contas ao pescoço, suspendendo nelas pelo dedo polegar o braço esquerdo; os olhos são vivos e com o cabelo cortado rente, tendo como um ângulo dele sobre a testa".

 

 
Tem de se autenticar (ou registar-se, se ainda não possui uma conta) para poder adicionar comentários a este artigo.

| Mais
Faixa publicitária